Assassino de brasileiro morto nos EUA era 'obcecado por namorada'
18/04/2018 - 20h28 em Geral

"Não foi um ato de maldade aleatório. O esfaqueador era um psicótico obcecado com a namorada do João." Para o jovem americano Sammy Landino, amigo próximo do brasileiro João Souza, de 19 anos — que foi morto a facadas dentro de um dos dormitórios na Universidade de Binghamton, em Nova York, nos EUA, no último domingo (15) —, o assassinato brutal se trata de um crime passional.

“O João nunca foi um cara envolvido com gente má, drogas ou outras coisas do tipo. Ele tinha muito caráter. O que aconteceu é que a namorada dele tinha um ex-namorado que basicamente se mudou para a Universidade de Binghamton só para perturbá-los. Ele esfaqueou o João por ciúmes”, disse Landino, de 19 anos, em entrevista exclusiva ao R7.

Landino relata que soube do crime por meio de um amigo em comum na manhã de domingo. "Nós recebemos um e-mail da escola onde estudamos com João avisando do ocorrido. Ainda estou em choque."

Ele afirma que quer ver o responsável pela morte do amigo atrás das grades. "Eu espero que a Justiça seja feita. Se tem algo que eu quero que as pessoas saibam no Brasil, é que João não vai ser esquecido. Nós lamentamos muito sua morte".

 

Amizade na escola

Segundo o jovem, os dois se conheceram no ano de 2012, quando o brasileiro chegou ao colégio de Blind Brook, em Nova York, para cursar a oitava série.

“O coordenador pediu que eu apresentasse a escola a João. Neste processo, nos tornamos amigos. Era difícil não gostar daquele cara. As pessoas o admiravam, ele falava facilmente com todo mundo. O que eu mais lembro é que, qualquer pessoa que conversasse com ele sentia como se ele fosse um conhecido da vida toa”, completa o americano.

Landino lamenta ter se afastado do convívio diário com o brasileiro em 2017 — quando cada um foi para uma faculdade diferente. “O João ia muito bem na escola, tinha ótimas notas. Ele foi aceito em todas as boas universidades”, diz.

Enquanto o brasileiro foi para a Universidade de Binghamton cursar engenharia, Sammy Landino foi aprovado na Universidade Yale, em Connecticut, para estudar história e ciência política.

 

Despedida no Dia de Ação de Graças

Ao R7, o americano conta que a última vez que conversou com o brasileiro foi em novembro do último ano, durante uma festa do Dia de Ação de Graças na casa de amigos: "Falamos sobre como era a vida na faculdade. Ele estava aproveitando muito, tinha apenas coisas positivas a dizer. Ele estava vivendo ótimos momentos."

Nesta quarta-feira (18), Landino diz que vai participar de uma cerimônia de homenagem a João Souza em Nova York, na escola onde os dois estudaram. 

Fonte:r7.com.br

 

COMENTÁRIOS
PUBLICIDADE