Ato contra Bolsonaro reúne Ciro Gomes, Doria, Mandetta e Amôedo em SP
13/09/2021 09:20 em Política

Foto: Reprodução Estadão Conteúdo

A manifestação contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) realizada no último domingo (12), na Avenida Paulista, em São Paulo, reuniu nomes como os ex-candidatos à presidência em 2018 Ciro Gomes (PDT) e João Amôedo (Novo), o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

 

Durante o ato, Ciro Gomes foi o primeiro a ter a palavra e afirmou que “a união no evento se deu pela preocupação do povo em parar a ameaça da morte da democracia”. O pedetista citou o aumento do desemprego e as mortes causadas pela Covid-19 como motivos para a necessidade de manifestações em defesa dos brasileiros.

 

“É claro que temos olhares diferentes sobre o futuro do Brasil, mas o que nos reúne, e é o que deve reunir toda a nação civicamente sadia, é a ameaça da morte da democracia e do poder da nação brasileira. O povo brasileiro está levantando a mais poderosa das espadas, que é a espada da união contra a ditadura”, afirmou.

 

Ciro aproveitou o discurso para defender sua decisão de participar do evento, que foi organizado pela liderança do Movimento Brasil Livre (MBL). O pedetista disse que compareceu à manifestação “pelo respeito à democracia” e que, apesar de seu partido e o MBL lutarem por coisas diferentes, a “luta para evitar a morte da democracia” deveria ocupar um papel maior.

 

O MBL, que declarou apoio a Bolsonaro durante o segundo turno das eleições de 2018, passou a fazer oposição ao governo ainda em 2019. Desde então, o movimento tem feito críticas às propostas do presidente para a economia, para o combate à corrupção e às tentativas de Bolsonaro de pressionar o Supremo Tribunal Federal (STF).

Por CNN

COMENTÁRIOS