Justiça dá mais prazo para a polícia concluir inquérito do caso em que Neymar é acusado de estupro
13/07/2019 08:42 em Policial

Neymar fala após prestar depoimento na delegacia da mulher em São Paulo — Foto: GloboNews/Reprodução

A delegada Juliana Lopes Bussacos, da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), na Zona Sul de São Paulo, terá mais 30 dias para concluir o inquérito que apura a denúncia de estupro da modelo Najila de Souza contra o jogador Neymar. O processo está em segredo de Justiça.

 

A decisão foi tomada nesta sexta-feira (12) pela juíza Ana Paula Gomes Galvão Vieira de Moraes, da Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher do Fórum de Santo Amaro.

 

As promotoras Estefânia Paulin e Flávia Merlini, destacadas para acompanhar o caso, também se manifestaram em concordância com o tempo maior de investigação. "O prazo passa a valer a partir do primeiro dia útil da decisão judicial, ou seja, a partir de segunda-feira (15)". disse estefânia ao G1.

 

A juíza autorizou o cumprimento de diligências da delegada para obter as imagens de câmeras de segurança do hotel em Paris, onde Neymar se encontrou com Najila, e que ainda não foram acessadas pelos investigadores. As imagens já estão no Brasil mas as autoridades francesas entendem que só podem ceder os vídeos com autorização judicial.

 

O Ministério Público solicitou cópias dos inquéritos que apuram a suposta extorsão sofrida pelo pai de Neymar, do furto no apartamento de Najila e do que apura a divulgação de imagens íntimas dela e que é investigado pela polícia do Rio de Janeiro.

 

A delegada Juliana Lopes Bussacos, da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), na Zona Sul de São Paulo, terá mais 30 dias para concluir o inquérito que apura a denúncia de estupro da modelo Najila de Souza contra o jogador Neymar. O processo está em segredo de Justiça.

 

A decisão foi tomada nesta sexta-feira (12) pela juíza Ana Paula Gomes Galvão Vieira de Moraes, da Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher do Fórum de Santo Amaro.

 

As promotoras Estefânia Paulin e Flávia Merlini, destacadas para acompanhar o caso, também se manifestaram em concordância com o tempo maior de investigação. "O prazo passa a valer a partir do primeiro dia útil da decisão judicial, ou seja, a partir de segunda-feira (15)". disse estefânia ao G1.

 

A juíza autorizou o cumprimento de diligências da delegada para obter as imagens de câmeras de segurança do hotel em Paris, onde Neymar se encontrou com Najila, e que ainda não foram acessadas pelos investigadores. As imagens já estão no Brasil mas as autoridades francesas entendem que só podem ceder os vídeos com autorização judicial.

 

O Ministério Público solicitou cópias dos inquéritos que apuram a suposta extorsão sofrida pelo pai de Neymar, do furto no apartamento de Najila e do que apura a divulgação de imagens íntimas dela e que é investigado pela polícia do Rio de Janeiro.

 

Najila Trindade Mendes de Souza na Delegacia da Mulher de Santo Amaro, em São Paulo — Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo

Najila Trindade Mendes de Souza na Delegacia da Mulher de Santo Amaro, em São Paulo — Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo

 

 

COMENTÁRIOS