Petróleo extra-pesado é o pior entre todos os que poderiam cair no mar; entenda análise do 'DNA do óleo'
25/10/2019 07:44 em Natureza

Foto: Divulgação/Marinha

A origem das manchas de óleo que atingem todos os nove estados do Nordeste continua um mistério, mas pesquisadores estão estudando e analisando o material encontrado nas praias. Exames laboratoriais mostram que a substância é petróleo cru de nacionalidade venezuelana, mas ainda não há informações sobre como ela veio parar na costa brasileira.

 

Segundo um estudo da UFRJ, a origem do vazamento pode estar em um ponto a 700 km do litoral de Alagoas e Sergipe. As hipóteses mais prováveis estão relacionadas a vazamentos provocados ou acidentais em embarcações que navegam por águas internacionais.

 

O G1 conversou com geólogos, engenheiros e químicos para entender como são feitas as análises de petróleo cru e quais as principais características dessa substância. Para eles, o óleo que atinge o Nordeste, do tipo extra-pesado, é o mais prejudicial ao meio ambiente.

 

"Ele tem mais frações tóxicas do que um óleo leve, cujos componentes seriam vaporizados mais facilmente", diz Gonçalves, da FEI. "Enquanto ele está no mar você ainda pode retirá-lo com uma separação do tipo líquido-líquido. Mas, depois que ele entra em contato com a areia, a remoção torna-se muito mais difícil."

Por G1 Globo

COMENTÁRIOS